Especial Gradius, Parte 8: Gradius IV – Fukkatsu

Gradius IV: Fukkatsu – Arcade/PlayStation 2/PSP (1999)

O subtítulo de Gradius IV, “Fukkatsu”, significa “resurreição”. Ele marca a volta de Gradius aos fliperamas, já que se passaram dez anos desde Gradius III. Com uma melhor tecnologia de jogos disponível vieram os gráficos em alta resolução e os ambientes poligonais… mas infelizmente, nada mais além disso. Gradius IV praticamente não é um jogo novo, ao ponto que parece ser uma espécie de remake “best of” dos Gradius antigos, mas com gráficos melhores. Gradius III sofre um tanto deste mesmo problema, mas aqui isso é bem pior. A primeira fase parece a fase de esferas de Gradius II, com a diferença que os sóis e os gráficos são feitos de uma substância metálica brilhante – o visual é bem bacana, mas é muito familiar. A segunda fase é a fase das plantas, que se parece muito com o que foi feito em Gradius III e Gaiden. A terceira fase é uma combinação da fase dos cristais do Gradius II e da fase das bolhas do Gradius III. A quarta fase é outra zona de vulcões, e é umas das poucas áreas que realmente usa o processamento extra para fazer algo interessante – a lava flui em ondas, com pequenas ilhas flutuando para cima e para baixo, criando o típico terror claustrofóbico pelo qual o Gradius é conhecido.

A quinta fase é outra fase moai, a sexta fase é outra fase biológica, e a sétima fase é outra zona de aceleração. A única sacada da última fase é que em certo ponto, a fase toda gira em 90º graus, e a tela se move verticalmente, apesar da Vic Viper se manter orientada horizontalmente. A única coisa em que o Gradius IV mostra alguma inovação são as lutas contra os chefes, Que são tão criativas quanto os brilhantes desafios do Gradius Gaiden. Mas apesar disso, já que este jogo foi criado para os arcades, ele também tem aquela dificuldade enlouquecedora dos primeiros jogos da série. Não é tão aborrecedor quanto o Gradius III, mas está no mesmo nível do Gradius II.

O modo de dois jogadores do Gradius Gaiden se foi. E também se foram todos os Edit Modes, e a maioria de configurações dos jogos anteriores. Existem umas poucas armas novas, como a Armor Piercing Gun e o Flying Torpedo, mas ainda assim parece pouco. E apesar dos gráficos serem tecnicamente superiores, à eles ainda falta o nível de detalhe que fez do Gradius Gaiden tão belo. A música é uma volta ao som sintetizado dos primeiros jogos, e os resultados variam – existem algumas faixas boas, mas novamente é uma decepção se comparado ao Gaiden. Como o jogo é muito simplista, adicionando muito pouco à fórmula, Gradius IV parece redundante, e só vale à pena conferí-lo se você for um fã muito hardcore.

Gradius IV foi inicialmente lançado nos arcades japoneses, e eventualmente chegou ao PlayStation 2 como parte da coletânea Gradius III & IV. À ela falta sistema maneiro de checkpoints do Gradius III no PS2, que permitia à você reiniciar em qualquer parte da fase que você já tivesse passado, mas o Boss Rush e o Level Select ficam disponíveis após se terminar o jogo. A versão para PSP é parte do Gradius Collection e permite que você save o jogo à qualquer momento e reinicie do último checkpoint.

Veja mais fotos de Gradius IV na galeria abaixo no fim deste artigo.

MP3s

Baixe Aqui

Apollon
Demeter
Feiton

Capa de Gradius IV OST

Vídeos

Gradius IV (PlayStation 2) – Stage 1

Gradius IV (PlayStation 2) – Stage 2

Gradius IV (PlayStation 2) – Stage 3

Gradius IV (PSP) – Stage 1

Galeria

Semana que vem: Gradius V!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s