Especial Gradius, Parte 4: Gradius II – Gofer no Yabou

Gradius II: Gofer no Yabou / Vulcan Venture – Arcade / Famicom / X68000 / PC Engine Super CD / Saturn / PlayStation / PSP (1988)

Capa do Gradius II (PC Engine)

Gradius II (o subtítulo significa “A Ambição de Gofer”) melhora praticamente tudo do jogo original, e define a maioria das tradições que definem a série. Rodando numa placa arcade mais poderosa, Gradius II apresenta gráficos realmente impressionantes – logo na primeira fase, ele vem com tudo, fazendo você desviar de sóis flamejantes, cada um lançando dragões de fogo gigantescos em comparação com a Vic Viper. Cada fase tem um chefe exclusivo, e começa com um falcão gigante feito de fogo. A segunda fase tem um design inspirado por H. R. Giger, completo com ovos que lançam pequenos facehuggers vindos diretamente dos filmes Alien, que mais tarde foram reutilizados no Super Contra. A terceira fase é uma batalha brutal através de um campo de cristais, que podem ser quebrados em partes menores, como no clássico jogo Asteroids. A quarta fase é uma revisitação á fase de cavernas do jogo original, e a quinta é outra fase Moai, que pega fogo na segunda parte da fase, quando todas as moais ficam vermelhas e começam a cuspir anéis de energia com o dobro de velocidade.

Gradius II (PC Engine)

A sexta fase é uma zona de “Speed Up”, onde a velocidade de scrolling aumenta e te desafia à voar através de uma série de corredores estreitos, inspirados na seção final de Salamander/Life Force. Esta fase termina com um “Boss Rush”, onde você deve derrotar chefes do Gradius original e Salamander, terminando com um novo chefe – um globo giratório gigante, que lança mísseis indestrutíveis que atacam por cima e por baixo. A última fase é outra base final, que começa quando as paredes se rasgam e se lançam em direção da Vic Viper – e mais tarde, as paredes começam à se mover, ameaçando esmagar a sua nave, se você não tiver cuidado. Esta fase termina em uma luta contra uma aranha mecânica gigante, que também é completamente invencível, e a única forma de derrotá-la é esquivando-se sob as suas pernas até que ela deixe a tela.

Quando você inicia o jogo ou usa um “continue”, você pode escolher a sua seleção de armas, que consiste de quatro variações de arsenal. Entre as armas novas, estão a Spread Bomb, que é lançada em um arco e causa uma explosão quando entra em contato com alguma coisa; 2-Way Missiles, que atiram para cima e para baixo; a Tail Gun, que dispara tiros pela frente e por trás da Vic Viper, e o Ripple Laser, que é menos poderoso que o laser comum, mas cobre uma área maior. Você também pode escolher entre o escudo clássico do Gradius, que protege a parte da frente da nave de vários disparos, ou o Force Field, que é mais fraco, mas protege a nave toda.

Gradius II (Arcade)

A música recebeu uma melhoria significativa, apresentado samples bastante impressionantes para uma placa de arcade de 1988. Existem vários samples de voz – mais uma vez um aspecto tomado do Salamander – que anuncia a arma que você selecionou, e dá a dica do ponto fraco do chefe de fase.

Gradius II (PC Engine) 2

O maior problema do jogo a sua falta de moderação – ele lança tantos obstáculos em sua direção e inunda a tela com tantos inimigos, que ele eventualmente se torna absurdamente difícil. Se você for morto nos campos de cristal da terceira fase, você pode muito bem recomeçar o jogo, pois é incrivelmente difícil de vencê-la apenas com o tiro normal. Felizmente, alguns dos ports para consoles domésticos diminuíram a dificuldade, o que melhora bastante a jogabilidade do jogo.

Gradius II (PC Engine) 3

A versão do Gradius II para o Famicom é razoavelmente próxima da versão arcade. Naturalmente, os gráficos receberam um downgrade, mas eles estão no mesmo nível do Life Force. Como era de se esperar, há algum flickering e slowdown, mas apesar disso, o jogo foi muito bem replicado. É também um tanto mais fácil, já que o Famicom não tem o poder gráfico para inundar a tela de projéteis como a versão arcade. Há também o código para 30 vidas, já que apesar de ainda usar o sistema de checkpoints, é um jogo bem mais difícil que o Contra. Diferente das versões para NES de Gradius e Life Force, você pode ter quatro options ao invés de apenas dois.

Gradius II (Famicom)

Como vários outros ports da Konami vários aspectos foram melhorados. A primeira fase tem um segmento extra onde você tem que desviar de plasmas solares do Salamander/Life Force. A segunda fase tem um chefe totalmente novo, uma caveira gigante que atira raios enormes pela boca. O terceiro chefe foi retirado completamente, e um dos inimigos do Boss Rush foi substituído pelo Zelos Force, o chefe final do Salamander/Life Force. Algumas músicas foram trocadas de lugar – um dos temas de navegação foi removido e o tema principal dos chefes foi substituído pela música do chefe-aranha da versão arcade. Apenas algumas músicas, como estas e as da primeira e quarta fases, assim como o tema final são as mesmas, e a maioria da trilha sonora é completamente nova e exclusiva da versão para Famicom. Como nos jogos para MSX, você pode aprimorar uma arma ao selecioná-la duas vezes. Além disso, você pode escolher o Option novamente depois que você  tiver o set completo – isso vai fazer eles rodarem ao redor da sua nave por trinta segundos antes de retornarem à sua formação normal.

Gradius II (Famicom) 2

A versão para PC Engine é graficamente quase idêntica à versão arcade – a única grande diferença é a resolução vertical, que significa que o seu campo de visão é menor. Há também “loading” após cada fase, mas também foi adicionado um novo vídeo de abertura. Toda a música é em CD áudio, e é idêntica à versão arcade.

Gradius II Intro (PC Engine)

A dificuldade foi diminuída para se jogar em casa – a dificuldade mais fácil é mais fácil que a menor dificuldade do arcade, mas a dificuldade maior é tão brutal quanto. Como na versão para Famicom, assim que as suas vidas acabam, você precisa recomeçar do começo da fase ao usar um continue, enquanto a versão arcade simplesmente recomeça do último checkpoint. isso significa que você precisa jogar a fase novamente na versão para PC Engine, mas permite que você re-equipe a sua nave de novo, enquanto no arcade é facil se complicar, ficando sem um jeito de reconstruir o seu arsenal. A versão para PC Engine tem uma fase nova, com algumas ruínas em uma fase de deserto. Ela também apresenta uma nova música para esta fase, e um novo chefe. De forma geral, há um empate entre qual das duas versões é a melhor – a do Famicom ou a do PC Engine.

Gradius II (PC Engine) 4

A versão para X68000 é praticamente um port exato, mas como a versão para PC Engine, roda em uma resolução um pouco menor, e tem músicas um pouco diferentes. Esta trilha sonora pode ser acessada como um bônus na galeria de música do Gradius Collection para PSP. As versões para PlayStation e Saturn (no Gradius Deluxe Pack), e PSP (no Gradius Collection) são basicamente ports diretos do jogo arcade game, com a opção para se desligar o slowdown.

Gradius II (PC Engine) 5

Confiras fotos de todas as versões do jogo na galeria ao fim deste artigo.

MP3s

Baixe Aqui

Equipment (Arcade)
Tabidachi (Arcade)
Burning Heat (Arcade)
Burning Heat (Famicom)
Burning Heat (X68000)
A Way Out of the Difficulty (Arcade)
The Final Enemy (Arcade)


Vídeos

Gradius II Gameplay (Arcade)

Gradius II Gameplay (Famicom)

Gradius II Gameplay (PC Engine)

Gradius II Intro (PC Engine)

Gradius II Intro Remake (PC Engine)

Vulcan Venture (X68000)

Galeria

Semana que vem:

Gofer no Yabou: Episode II/Nemesis 3: Eve of Destruction!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s