Companhias Coreanas de MSX – Parte 7: Mirinae Software

Artigo originalmente publicado no site Hardcore Gaming 101, traduzido para o português pelo site MSX Resources, sob autorização.

미리내 소프트웨어 Mirinae Software

Fundada em:                  Fevereiro de 1987 (time)
                            Março de 1989 (companhia)
Status:                              encerrada (1999)
Pessoas-chave: Cho Daeho (co-fundador, líder do time)
             Jeong Jaesung: (co-fundador, presidente)
                         Yang Jaeyoung: (co-fundador)
Website:                      mirinae.co.kr (offline)

미리내 엔터테인멘트 Mirinae Entertainment

Fundada em:             29 de Maio de 2001
Status:                   encerrada (2009)
Pessoas-chave: Jeong Jaesung: (presidente)
Website:           mirinae.co.kr (offline)

Perfil:

Sendo o único time que realmente fez com sucesso sua transição dos antigos computadores pessoais para os PCs modernos, Mirinae era o desenvolvedor mais tradicional dos anos 90 e famoso por sua dedicação ao mercado de jogos domésticos. O nome da companhia veio da antiga palavra coreana para Via Láctea (diferente do termo sino-coreano  eunhasu, que é usado atualmente), e seus anúncios geralmente apelavam ao espírito nacionalista dos jogadores. Em 1994, metade de seus funcionários deixou a empresa para formar a Sailon Soft, mas as duas companhias continuaram cooperando por vários anos, e Mirinae publicou os jogos Rose Knight e Mission: Spirit of Justice da Sailon Soft.

Em 1996, Mirinae lançou suas ferramentas de desenvolvimento sob o título Daejanggan (“A Forja”) ao público e adquiriu a empresa de tecnologias de internet CH software. Eles continuaram lançando jogos com sucesso até 1997, mas durante a crise financeira do leste asiático Mirinae encontrou problemas financeiros e silenciosamente caiu no esquecimento.

Em 2001, membros da Mirinae Software formaram uma nova empresa, a “Mirinae Entertainment”. Depois do lançamento de um único jogo, Khan Online, a empresa foi comprada pela Secure Software, que é especializada em soluções de segurança. De começo esta já não era uma parceria ideal, e a situação tornou-se drasticamente pior quando a Secure Soft decretou falência e seu presidente foi preso por apropriação indébita de mais de  20 bilhões de Wons coreanos (mais de 22 milhões de dólares na ocasião). O suporte ao Khan Online acabou em outubro de 2009, juntamente com a Mirinae desaparecendo novamente.

Jogos:

Primeiros Jogos da Mirinae – MSX, PCB (1987-1991)

A antiga homepage da Mirinae listava vários jogos iniciais que só existiram como conceitos, que o designer Kim Kyongsoo teria criado em seus tempos de escola, como ele revelou nesta entrevista. Entre eles, estavam os jogos de MSX Smorpy (Abril de 1987) e Star Tale (Julho de 1989), assim como outros títulos no formato PCB.

그날이 오면 II (Geu Nal-i Omyeon II) / ForThe Day II – MSX2 (1991)

Capa de Geu Nal-i Omyeon II

Pode parecer estranho que a série For The Day comece com a parte 2, mas existe um motivo para isso.  Mirinae planejou e anunciou para MSX o primeiro episódio da série em 1989 (veja a seguir), mas o jogo nunca foi lançado. Apesar deles terem abandonado completamente o primeiro jogo, o número de sequência foi mantido, causando confusão entre os retrogamers mais tarde.

O jogo em si é um jogo de tiro/nave horizontal, e é muito bom, não devendo nada para os grandes nomes no MSX2, como a Compile ou a Konami. Com longas cutscenes de história, inimigos enormes e fases com scroll fluído – o jogo entrega tudo que os fãs do gênero no MSX2 poderiam desejar. Existem apenas pequenos problemas técnicos, como a barra de status que só é visível quando se pausa o jogo, e existe uma certa lentidão durante a segunda fase. A música também não é tão empolgante quanto os últimos títulos da Mirinae’s para PC, e não combinam muito bem com o jogo. estando mais no estilo esperado em jogos de plataforma mais infantis.

O jogador enfrenta 9 missões na pele do Capitão Lee, na caça do organização andróide terrorista  Metalabor, que roubou o novo elemento Mega Plutônio K, ameaçando a paz mundial. E eles teriam conseguido facilmente, se não tivessem feito a tolice de sequestrar a irmã do Capitão Lee, para chantagear seu pai – um famoso cientista – para que ele não revelasse o ponto fraco dessa fabulosa fonte de energia. Bem, esta é linha geral da história, que é apresentada em um inglês tão ruim que às vezes fica difícil de entender o que se quer dizer.

Os controles são ótimos, assim como o design das fases. Cada missão é apresentada numa sequência de briefing, mostrando o chefe da fase e uma dica de seu ponto fraco.As fases são um tanto longas, mas não tão absurdamente longas como as dos últimos episódios no PC. Umas poucas opções de armas são menos úteis que as outras, mas apesar disso o jogo é bem balanceado, e bem provido de powerups. O Capitão Lee recebe uma nova nave à cada missão, mas as diferenças são quase que exclusivamente cosméticas, apenas o alcance vertical das “smart bombs” é que se torna cada vez menor com os subsequentes “upgrades”.

For The Day II é tão bom e difícil quanto um jogo de nave deve ser, mas mesmo assim conta com três níveis de dificuldade diferentes. Isso na prática altera a velocidade do scroll do jogo e torna os chefes mais fáceis, mas por algum motivo o jogo não oferece um menu para selecioná-los – a dificuldade é determinada por qual dos três discos do jogo ele é iniciado. Por consequência disso, os níveis Easy e Hard pulam o cutscene de introdução do jogo.

O jogo apresenta pela primeira vez o mascote amarelo da Mirinae, chamado Samtong. Ele iria assombrar vários outros jogos desde então, em avisos de copyright e “cameos”, e até estrelaria seu próprio jogo mais tarde –  que curiosamente foi desenvolvido pela Sailon Soft depois da cisão.

Confira fotos do gameplay do Geu Nal-i Omyeon II na galeria no fim deste artigo.

그날이 오면 (Geu Nal-i Omyeon) / For The Day – MSX2 (1989)

Anúncio de Geu Nal-i Omyeon

O primeiro episódio da famosa série For The Day da Mirinae causa bastante confusão entre os retrogamers até hoje, apesar do próprio Cho Daeho claramente afirmar em uma entrevista que o jogo nunca foi lançado, pois eles queriam fazer um jogo que “não ficasse devendo nada aos jogos japoneses”. O principal motivo alegado como a razão para o cancelamento foi a não-fuidez do scrolling (não se sabe até hoje porque eles não tentaram simplesmente corrigir este problema ao invés de jogar o jogo inteiro fora). Entre outras coisas, os screenshots mostram que o jogo contava com upgrades “option” (similar ao Gradius e Salamander), que não estão presentes na sua sequência, e várias outras armas que foram reintroduzidas só mais tarde na série.

Segundo o antigo site da Mirinae, uma versão do jogo foi realmente lançada – estava listada como “board game” (mas não fica claro se é um board game no sentido de um jogo de tabuleiro, ou no sentido de PCB), e supostamente teria sido exportado para o Japão.

Confira fotos do gameplay do Geu Nal-i Omyeon na galeria abaixo.

Galeria

Mirinae também lançou jogos para PC-DOS, que não estão cobertos neste artigo. Para vê-los veja o artigo original.

Uma resposta para “Companhias Coreanas de MSX – Parte 7: Mirinae Software

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s