Grandes Verdades (ou não) Sobre La Abadía Del Crimen

La Abadía del Crimen. O que sugere este nome? Para muitos, este é o melhor jogo da época dourada do software espanhol, sem dúvida alguma. Para outros, apesar de se tratar de um jogo de conceito e técnica revolucionários, ele não é o maior expoente em jogabilidade, e isso sem dúvida se deve  à frustração que se sentia ao experimentar os controles do jogo pela primeira vez.

Eu fui um dos frustrados com este jogo… [N. do T.: eu também, Konamito!] Nas primeiras cinquenta partidas (mais ou menos) eu observava sem poder fazer nada, com a barra de obediência ao Abade baixando rapidamente, sem poder me acostumar com os (péssimos) controles de Guillermo, o protagonista. E a desobediência se pagava com a expulsão da Abadia e a volta ao começo do jogo. Alguns pensavam que eu era um masoquista, mas não sei porque a história no fundo me atraía e não me deixava desistir; queria ver mais, descobrir o que acontecia no final. Mas desgraçadamente não foi assim que aconteceu: nunca passei da sexta no segundo dia

E assim os anos se passaram, perdido na mais absoluta ignorância sobre os segredos da misteriosa Abadia. Até que chegou às minhas mãos O Nome da Rosa e decidi que já era hora de conhecer o final da grande aventura de William de Barkesrville. Muitos anos depois se encerrou deste capítulo da minha infância com o filme estrelado por Sean Connery. Pude finalmente descansar. Fiquei em paz comigo mesmo sabendo o que escondia os muros da Abadia, depois de tantos anos de mistério e imaginação.

Pois bem, comentaram sobre este jogo no El Pixel Ilustre, expondo pela primeira vez (que eu tenha visto) as razões pelas quais o autor acha que La Abadía del Crimen não é um jogo tão bom quanto pintam por aí.

Link relacionado: El Píxel Ilustre.

E vocês, o que acham?

Escrito por Konamito para Konamito.com e traduzido para o português por MSX Resources.

Uma resposta para “Grandes Verdades (ou não) Sobre La Abadía Del Crimen

  1. Eu concordo. O jogo não é bom. Eu tinha visto o filme na minha época de garoto mesmo (1987-1988) e mesmo assim não consegui terminar o jogo. Depois tentei dar uma segunda chance ao remake do MSX2, mas nada. Larguei de mão.
    Foi um jogo ruim ancorado no hype de uma ótima franquia, exatamente como acontece com os jogos de hoje de filmes.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s