Companhias Coreanas de MSX – Parte 2: Zemina (Parte 1 de 3)

Artigo originalmente publicado no site Hardcore Gaming 101, traduzido para o português pelo site MSX Resources, sob autorização.

재미나 Zemina / 새한상사 Saehan Sangsa

Fundada em:    1981
Status:        encerrada
Pessoas-chave: Jeong Hyeonsu (presidente)
               Kim Eulsuk (chefe de desenvolvimento)
Website:       nenhum

Perfil:

Nascida da prolífera indústria de jogos piratas, a Zemina (o nome pode ser lido com “isso é divertido!” em coreano)tornou-se uma das primeiras empresas a lançar periodicamente  jogos desenvolvidos internamente. Muitos destes eram ports ou reinterpretações de jogos conhecidos, como Super Mario Bros. ou Tetris. Entretanto, nos seus últimos anos, seus jogos se tornaram cada vez mais independentes de seus arquétipos, mas nunca se libertaram completamente do material de outras empresas. Os jogos apresentados abaixo (e nas próximas duas partes deste artigo) são apenas os títulos que consistiram em mais que apenas um hack para adicionar o “copyright” no jogo original.

Apesar da Zemina ser principalmente um desenvolvedor para MSX, vários de seus títulos foram também convertidos para o Samsung Gam*Boy/Master System. Eles até lançaram um jogo sob licença oficial, o Nemesis 3 da Konami, como Salamander 2, ao mesmo tempo em que lançavam jogos piratas desta mesma empresa feitos antes de 1987. Como várias outras empresas da época, seus empreendimentos não estavam limitados à venda de software, eles também fabricavam vários acessórios. Seu catálogo incluía expansores de slot, um cartucho de som para MSX, expansões de RAM e um conversor Famicom/MSX.

Ao que parece, em 1989 Zemina deixou de ser uma copanhia independente e foi adquirida por uma empresa chamada Saehan Sangsa. Seus jogos eram desenvolvidos por pelo menos três times diferentes: o chefe de desenvolvimento Kim Eulsuk e Koo Eunjoong eram responsáveis por Brother Adventure e a série Super Boy, Lee Kyuhwan e Lee Sanghun fizeram Double Dragon e The Three Dragon Story, e o time MBITM sob o comando de Jeong Chanyong criou os ports de Bubble Bobble ports e Micro Xevious. Mas, existem alguns jogos que não contém creditos, infelizmente.

Em julho de 1990, Saehan Sangsa exportou seus primeiros jogos, expansões de RAM e cartuchos de som num valor total de US$70,000 para um distribuidor holandês chamado Centrum. Mais tarde o MSX Club Gouda também importou cartuchos coreanos, a maioria fabricado pela Zemina. Mas estes jogos foram vendidos em poucas quantidades na Europa.

Existem literalmente dúzias de empresas que atendem pelo nome Saehan Sangsa na Coréia, logo fica quase impossível de se conseguir mais informações sobre a empresa proprietária. Em 1992, os programadores internos da Zemina deixaram a empresa para formar a companhia Open, e não houve mais jogos criados pela Zemina desde então – logo a  Saehan Sangsa ou acabou fechando suas portas, ou desistiu de lançar jogos a partir daquele momento.

Jogos:

형제의 모험 (Hyeongjae-ui Moheom) / Brother Adventure – Dezembro, 1987

Brother Adventure - 1

O primeiro jogo da Zemina é simplemente o Mario Bros. As sprites foram redesenhadas e o personagens renomeados, logo Titan é quem está enfrentando o esgoto, junto com seu irmão Gamma. Todos os tipos de inimigos, fases e estágios de bônus estão presentes, mas o flickering é ainda pior que na versão para NES. A escorregada característica do Mario está faltando nesta versão, o que o torna de certa forma melhora a jogabilidade, mas a física do jogo é um pouco estranha, por assim dizer. O melhor detalhe desta versão é que há música sendo tocada durante as fases, enquanto Mario é bem silencioso.

Brother Adventure - 2

뉴 보글보글 (New Boggle Boggle) – Maio, 1988

Capa de New Boggle Boggle

New Boggle Boggle - 1

À essa altura o jogo Bubble Bobble da Taito já havia sido lançado oficialmente para o MSX, mas devido à grande popularidade dele na Coréia, Zemina resolveu fazer sua própria versão. New Boggle Boggle é um “remix” com fases completamente diferentes, mas a execução é ruim em vários aspectos. Os dragões ficam constantemente presos no cenário, o comportamento dos inimigos é falho e eles escapam das bolhas rápido demais. Faltam também várias features do jogo, como as letras EXTEND e vários itens especiais. O pior de tudo é que a música soa como se uma criança de maternal estivesse tentando tocá-la num xilofone.

New Boggle Boggle - 2

New Boggle Boggle não foi desenvolvido pelos desenvolvedores internos da Zemina, mas sim por um time chamado MBitM, que continuaria a contribuir com jogos lançados sob o logo da Zemina até o momento em que se tornaram a Namu Software, que desenvolvia jogos para PC.

더블 드라곤 (Double Dragon) – Janeiro, 1989

Double Dragon - 1

Depois de seus primeiros lançamentos, Zemina tornou-se ousada o suficiente para usar os nomes oficiais dos jogos em seus ports. Double Dragon é um dos seus primeiros jogos e fracos jogos. os inimigos tem uma bela caixa preta em volta de suas cabeças e se movem tão levemente quanto caracteres de um relógio digital. O jogos só tem 3 tipos de inimigos: uma cara de pele clara, outro de pele escura e o Abobo verde. O jogo sequer tem um chefe final real, apenas mais um Abobo que aguenta centenas de golpes. Os golpes foram convertidos corretamente, mas algumas manobras, como arremesso, são complicadas de fazer. Pouquíssimos inimigos derrubam facas, que é a única arma disponível. Isso tudo não seria tão ruim se não fosse pela irritante IA dos inimigos, que sempre se enfiam em lugares que o jogador não consegue alcançar.

Double Dragon - 2

É interessante notar que este jogo não foi desenvolvido pelos então presentes desenvolvedores da Zemina – ao que parece, agora eles contrataram Lee Kyuhwan (design de arte) e Lee Sanghun (programação), que tinham tido suas primeiras experiências com o jogo Legendly Knight e levariam a série Kingdom Under Fire à fama mais de 15 anos depois.

A arte da caixa foi roubada do jogo de luta Fuun Shaolin Ken da Jaleco para o Famicom Disk System.

Confira fotos do gameplay de Double Dragon na galeria no fim deste artigo.

슈퍼보이 I (Super Boy I) – MSX, Master System (Janeiro, 1989)

Super Boy 1 - 1

É a versão da Zemina de Super Mario Bros., ou pelo menos dos quatro primeiros mundos, para ser preciso. Ao que parece, as ROMs de 32KB roms que a Zemina provaram ser muito pequenas para o jogo (o Super Mario Bros original tem apenas 6KB à mais, mas os dados das fases restantes tomariam muito menos espaço, assim como os gráficos). Mas isso não é a única coisa que falta: ao invés de ser recebido em cada castelo por um cogumelo dizendo as lendárias palavras ‘Thank you Mario, but (…)”, há apenas uma sala vazia com a frase “Sorry Nothing”. A princesa propriamente está faltando também.

Várias mecânicas de jogo não funcionam da mesma forma que o original, ou por incapacidade do MSX, por culpa do programador, ou simplesmente por falta de espaço no cartucho. Elevadores são simples plataformas que começam à cair quando se pisa nelas, não existem fases aquáticas, nem todos os pequenos segredos que davam charme ao jogo, como warp zones, fases bônus e a opção de entrar nos canos simplesmente não foi implementada. A distribuição de powerup é mais cruel, já que os blocos que deveriam contê-los estão sujeitos à um gerador randômico.

Levando isso tudo em consideração, o jogo todo parece mais uma versão de consolo para os usuários de MSX do que um port real e completo.

Confira fotos do gameplay de Super Boy I na galeria no fim deste artigo.

슈퍼보이 II (Super Boy II) – MSX, Master System (Janeiro, 1989)

Capa de Super Boy 2

Este jogo é para o Super Boy I o que o Super Mario Bros. 2 japonês (conhecido no ocidente como The Lost Levels) é para o primeiro jogo da Nintendo, ou até menos, já que o cogumelo malvado não foi implementado. Novamente o jogo termina depois do mundo 4, sem nenhum final.

Super Boy II é o primeiro jogo da Zemina confirmado à possuir uma versão para Master System. Como ambas as máquinas possuíam uma arquitetura similar, jogos de MSX podiam ser facilmente convertidos para o sistema da SEGA. Não houve nenhuma espécie de adaptação, logo o jogo é idêntico em ambas as platformas.

Confira fotos do gameplay do Super Boy II na galeria no fim deste artigo.

Galeria

Continua na parte 2, em breve!

2 Respostas para “Companhias Coreanas de MSX – Parte 2: Zemina (Parte 1 de 3)

  1. Pingback: Apresentando os Jogos Coreanos – Parte 1 | MSX Resources

  2. Pingback: Vídeos Interessantes – Parte 39: Let’s Compare! (I) | MSX Resources

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s