Do Outro Lado da Cerca: Esper Dream (1987, FDS)

Por Kurt Kalata, em 1/9/2011

Esper Dream (エスパードリーム) - Famicom Disk System / Celulares (1987)

Capa de Esper Dream

Durante os anos 80, os japoneses tinham uma estranha fascinação pelos “Espers” – pessoas que possuíam percepção extra-sensorial (Extra Sensorial Perception, ou ESP) – e com isso existiram vários mangás, animes e jogos sobre este tema. Entre eles está o Esper Dream da Konami, onde você controla um jovem garoto que foi transportado para dentro do seu livro favorito. Dentro deste mundo alternativo, os cidadãos de Brick Town correm perigo, já que um grande mal assola a região, e a filha do prefeito foi sequestrada. E é você, o grande forasteiro, que aparentemente detém um grande poder, é equipado com alguma coisa e lhe é dado a tarefa de resgatá-la.

Surfando na crista da onda de RPGs para Famicom que seguiram o sucesso de Dragon Quest, Esper Dream é obviamente inspirado por tais jogos, mas tenta algo diferente deles. Para começar, não existem um mundo geral concreto – ao invés disso, Brick Town é o centro do universo do jogo, e você pode se teletransportar para os vários mundos através das várias casas cinzas. Tecnicamente você pode ir ás últimas fases logo no início, mas isto não é recomendado, já que você não apenas ainda não possui certos ítens vitais, mas com certeza será trucidado pelos inimigos. Ao invés disso, há uma ordem específica em que se espera que você conquiste estes mundos, permitindo que você se equipe propriamente para as lutas contra os chefes. Cada mundo contém um punhado de pequenos labirintos, que escondem vários ítens importantes. Não é necessário que você explore todos eles, mas isso ajuda.

Diferente dos outros RPGs, Esper Dream não se prende aos clichês de fantasia medieval, mas já que tudo acontece não livro não definido, não é uma real coesão de tema em praticamente nada. O primeiro mundo, por exemplo, se passa na casa de alguém, mas as redondezas são bem vastas (ou talvez é você que é muito pequeno), e os labirintos exigem que você se aventure por dentro de computadores, onde as paredes consistem de chips de computador. Há um campo como nos RPGs convencionais, com campos verdes e oceanos azuis, juntamente com um castelo de cristal, um labirinto pelos pântanos, e um mundo baseado no jogo de xadrez. Inimigos incluem joaninhas, peixes voadores, mosquitos, macacos alados, pelicanos, plantas domésticas, estátuas moai cuspidoras de anéis, inspiradas em Gradius, e uma variedade de outras coisas sem sentido, que parecem ter sido baseadas nas sprites que o artista estava com vontade de desenhar naquele dia.

Ao andar por cada área, você verá pegadas andando por aí. Estas representam encontros com inimigos, o que te leva para uma tela separada para a batalha. Diferentemente das batalhas de Dragon Quest, que são baseadas em menus, estas pequenas sequências de ação são combates em tempo real. Aqui, você pode atar tanto com suas armas normais  - o que inclui pistolas d´água, lasers, e bazucas – ou vários poderes ESP, que gastam o seu EP. já que você está lutando numa arena fechada, você não pode fugir simplesmente, mas você pode escapar encontrando o bloco correto escondido e atirando nele. Matar inimigos te dá experiência, que por sua vez aumenta o seu HP e EP quando você passa de nível. Ocasionalmente os inimigos deixam ouro, que é usado para comprar armas diferentes. Apesar de você aprender poderes ESP naturalmente á media que passa de nível, você também pode comprar várias magias antes, mas isso é um desperdício de dinheiro, à longo prazo.

Ainda sim, Esper Dream ainda tem os mesmos problemas que assolam os RPGs de 8bits. Ataques inimigos são constantes, e apesar de terem várias paletas de cores diferentes, existem apenas uns poucos tipos de inimigos. Até com as armas mais poderosas, os inimigos continuam precisando ser acertados muitas e muitas vezes antes de morrer, especialmente mais perto do fim do jogo. A maioria dos ítens é absurdamente cara, e o “grinding” acaba tornado o combate tediosos. Não existem ítens para recuperar energia que você possa carregar com você – eles são deixados por inimigos derrotados em ocasiões extremamente raras, mas até que você consiga o poder de cura mais tarde no jogo, a única alternativa é voltar todo o caminho até a cidade, dormir na pousada e então refazer os seus passos. A ação em sim é também bem desajeitada – você só pode atacar nas quatro direções cardeais, e ainda bem devagar. O ataque da sua pistola é também um pouco fora de mira, tornando difícil de alinhar os seus tiros, mas talvez o jogo apenas siga o velho padrão de RPGs de ação japoneses de atacar os inimigos f0ra de centro, como nos jogos da série Ys.

Tecnicamente, o jogo não é assim tão grande – existem cinco mundos, e cada um tem apenas algumas telas de tamanho, e os labirintos geralmente também não são muito grandes. Existem também várias cidades menores que podem ser encontradas em cada mundo. Mas o combate excessivo e a lenta velocidade de locomoção garantem que vai levar pelo menos algumas horas antes que você chegue ao final do jogo. Ele também faz que você vire o disco toda a vez que você entra em Brick Town, e os tempos de carga são mais chatos que o normal nos jogos para o Disk System.

Mas apesar de suas muitas falhas, há muito do que se admirar em Esper Dream. O fato que ele se separa dos jogos com combate por turnos o torna bastante único, mesmo que isso não seja tão bem executado o quanto se espera da Konami, e o fato de que não existem batalhas randômicas faz dele um jogo bem à frente do seu tempo. As grandes sprites não são exatamente atraentes – o capacete com espinhos que você usa quando sai da cidade parece completamente absurdo  - e há também um grande avanço em comparação com os tiles 8×8 usados na maioria dos jogos similares. A música, apesar de não ser impressionante, é agradevel o suficiente, apesar de não ter muita variação. É interessante ver um tipo diferente na evolução dos RPGs japoneses, mesmo que, como vários outros RPGs em 8bits, ele exija um monte de paciência para apreciá-lo. Há também uma tradução para o inglês feita por Mute, permitindo que aqueles que falam o idioma apreciem o jogo mais facilmente.

Confira mais fotos de Esper Dream na galeria no fim deste artigo.

Vídeos

Mundo 1

Mundo 2

Mundo 3

Mundo 4

Mundo 5

Links

Strategy Wiki – Esper Dream - walkthrough completo, com mapas.

MP3s

Baixe aqui

Town
Overworld

Galeria

About these ads

Uma resposta para “Do Outro Lado da Cerca: Esper Dream (1987, FDS)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s