Fight! Golvellius – MSX1 x MSX2 x Master System

Por Kurt Kalata

Maou Golvellius - MSX (1987)

Golvellius: Valley of Doom - SEGA Master System (1988)

Shin Maou Golvellius - MSX (1988)

Da esq. para a dir.: MSX, SEGA Mark III, Master System e MSX2.

Você pode facilmente dar uma olhada em Golvellius: Valley of Doom, e rapidamente ignorá-lo com sendo um clone de Zelda. Em alguns aspectos, isso é verdade – este RPG de ação visto de cima é realmente inspirado pelo clássico da Nintendo. Mas como vários outros jogos para o SEGA Master System, ele pega conceitos de seus competidores e os transforma, criando produtos únicos, bastante interessantes (pelo menos isto foi verdade até a SEGA lançar o Golden Axe Warrior, que é um plágio descarado de Zelda).

Maou Golvellius (MSX)

Golvellius é na verdade o nome de um grande demônio, do tipo que heróis de vídeogame gostam de matar. Este herói de vídeogame em particular se chama Kelesis, um destemido guerreiro, do tipo que sai para matar caras maus, salvar a princesa e tudo mais. Seu objetivo é explorar a terra, derrotar os sete maiores malvados para pegar os seus cristais, e finalmente enfrentar o maligno Golvellius.

Maou Golvellius (MSX)

O ponto de visão aéreo e os elementos de exploração deixam bem claro que o desenvolvedor tinha Zelda em mente, mas há várias mudanças na fórmula. Talvez a maior diferença seja a estrutura. O mundo exterior de Zelda é uma paisagem gigante e não-linear - você meio que surge no meio dela e você pode explorá-la como bem entender. Golvellius é muito mais focado e linear – o mundo é estritamente dividido em sete áreas, e cada uma deve ser conquistada antes que você possa ir para a próxima. Entretanto, você também aprende novas habilidade á medida que você avança, logo você pode voltar à áreas anteriores para descobrir novos segredos. Cada tela em cada área tem uma caverna escondida, que pode ser revelada ao se derrotar um certo número de inimigos, ou acertando um bloco específico. Na maior parte das vezes, você vai acabar encontrando uma fada tagarela te dizendo deste dicas úteis até as coisas mais sem sentido. Entretanto, você também vai encontrar vendedores, que vendem uma variedade de coisas. Isso inclui poções, que aumentam a sua barra de energia, e bíblias, que aumentam a quantidade máxima de ouro que você pode carregar.

Golvellius (SMS)

Agora, um dos problemas mais chatos de Golvellius é que ele tende a focar muito no grinding. Quando você entra numa área nova, você geralmente está extremamente despreparado e pode ser massacrado rapidamente. Logo você precisa quantas poções quanto for possível. Você também pode acabar encontrando novos equipamentos, como escudos que refletem projéteis inimigos, ou botas que permitem que você ande sobre a água. Eles geralmente custam mais ouro do que você pode carregar, então você precisa matar mais inimigos para conseguir dinheiro para bíblias, ver o seu dinheiro ir por água abaixo novamente, e então começar a juntar dinheiro outra vez. Além disso pelo menos na versão para Master System), não basta simplesmente matar o chefe da área – você precisa encontrar e comprar o cristal também, o que come uma boa parte do ouro que você ganha por vencer a batalha Como resulto, uma boa parte do jogo se baseia em encontrar o lugar mais rápido e seguro de se obter dinheiro.

Golvellius (SMS)

Uma vez que você explorou a área e se preparou o suficiente, você pode ir para o dungeon, que abriga o chefe da área. Aqui, Golvellius abandona as suas pretensões de Zelda como quebra-cabeças, preferindo um estilo de ação mais arcade. Existem dois tipos de dungeons, que se alternam – fases de ação lateral e fases vista de cima. As fases de ação lateral são simples desafios de plataforma, geralmente duram apenas um ou dois minutos. A pegadinha é que uma vez que a tela rola, não há como voltar para trás. É muito fácil cair num buraco, ou entrar num beco sem saída – que neste caso você precisa sair totalmente do dungeon e recomeçar do zero. Os dungeons vistos de cima tem rolagem automática e parecem um jogo de tiro. Novamente, se você rolar para fora da tela, você voltará para o começo da fase, o que resulta em várias tentativas chatas de tentativa e erro.

Golvellius (SMS)

Apesar de seus defeitos, há muito do que se gostar em Golvellius. O mundo é grande e variado, com paisagens que vão desde florestas, passando por desertos e cemitérios, até pântanos e ilhas tropicais. Os gráficos das versões para Master System e MSX2 são excelentes, e ajudam a definir este como um dos mundos de RPG de ação, ao lado do Crystalis, da SNK. A música também é excelente. Diferentemente dos outros jogos, a música não muda baseada na área onde você está – ao invés disso, ela muda de acordo com o equipamento que você comprou. É realmente fantástico comprar uma espada nova e voltar para o mundo exterior, onde você é recebido com uma nova e triunfante música-tema. Mais tarde no jogo, você consegue um ítem que permite que você ande através de quase tudo (com exceção de certas montanhas que servem de fronteiras do mundo) o que dá uma sensação de ser um deus que geralmente só se encontra utilizando cheat codes. Alguns textos são bem engraçados, também. Tente comprar um ítem sem ter dinheiro o suficiente, e essas aparentemente doces senhoras vão soltar os mais insultos hilários em inglês arcaico, caçoado do seu atrevimento. Isso faz o velhinho mal-traduzido do Zelda original parecer um coitado.

Golvellius (SMS)

Você vai levar umas boas horas para terminar Golvellius – mais ainda se você não estiver usando um walkthrough – mas a SEGA foi mesquinha ao não adicionar uma bateria à versão para Master System, logo você está refém de passwords de 32 caracteres. Mas tudo isso vale à pena, para ver o fim da aventura, especialmente o belo encerramento. Nos minutos finais, Golvellius volta à vida e entra para o seu time. Kelesis, Golvellius e a princesa Rena partem para uma nova aventura, e o jogo promete uma continuação. Por mais fantástico que deve ser jogar como o gigantesco cuspidor de laser Golvellius, uma verdadeira continuação nunca se materializou, uma das maiores tragédias dos vídeogames de 8 bits.

Shin Maou Golvellius (MSX2)

No Japão, o jogo é conhecido como “Maou Golvellius” ou “Demon Lord Golvellius”. No que diz respeito à versão para Master System, a única diferença entre as versões japonesa e americana é o nome da moeda, chamada de “Find” na versão japonesas ao invés de “Gold”. A maioria dos jogadores anglófonos conheceram Golvellius através da versão para Master System. Entretanto ele foi originalmente criado pela Compile, o estúdio por trás de jogos de tiro com Aleste e Zanac, assim como o jogo de puzzle Puyo Puyo e o RPG Madou Monogatari. O jogo de nave Guardian Legend para NES/Famicom [N. do T.: continuação do Guardic do MSX], também foi criado pela Compile, que é um RPG de ação similar ao Golvellius, mas troca as seções de dungeon por fases de tiro normais. Randar, a coisinha azul sorridente é basicamente o mascote Compile, e recupera a sua energia em ambos os jogos.

Golvellius (SMS)

Golvellius na verdade começou no MSX, e mais tarde recebeu um remake para MSX2. Todos os três jogos contam basicamente a mesma história, e tem uma estrutura bastante similar, mesmo tendo o layout do mundo exterior completamente diferentes em todos os três. A versão para MSX tem gráficos bem fracos, com cores e designs bem simples, e o scrolling quadro à quadro nas fases de dungeon. todo o lado direito da tela é tomado pela janela de status,que mostra a sua energia,  ouro e equipamento. Nesta versão, comprar poções realmente aumenta a sua barra de energia, enquanto elas funcionam mais como tanques de energia consumíveis nas outras versões. A versão para Master System mantém a janela de status durante os dungeons de visão aérea, mas nas outras telas mostra a ação em tela cheia. O chato é quer você precisa se levantar e apertar o botão de Pause no console se você quiser ver quanto ouro você tem.

Shin Maou Golvellius (MSX2)

A versão para MSX2 é às vezes referida com “Golvellius 2″, mas isso é incorreto. Entretanto, ela é ocasionalmente chamada de “Shin Maou Golvellius.” ela parece bem similar à versão para Master System, mas a maioria dos inimigos é diferente, e a sprite do Kelesis também foi alterada. Ela na verdade muda a história um pouco – nas versões para MSX e Master System, Kelesis é um andarilho que por acaso acabou de chegar ao reino, e se oferece para salvar o rei. na versão para MSX2, ele é na verdade um príncipe (que você pode dar um nome), e o capítulo de prólogo é completamente novo. Aqui, você precisa andar pela cidade, falar com as pessoas e fazer umas quests de leva e traz antes de sair do castelo e começar a sua jornada propriamente dita. O capítulo final é um pouco diferente também – nas versões para MSX e Master System, você simplesmente entra numa caverna comum para encontrar o último dungeon, mas na versão para MSX2, você entra numa torre gigante.

Shin Maou Golvellius (MSX2)

Ambas as versões para Master System e MSX2 apresentam chefes gigantes no meio dos dungeons, que carregam grandes quantidades de cápsulas de energia. Entretanto, eles são muito mais cartunescos na versão para Master System. A maioria das músicas da versão para MSX2 são as mesmas que da versão para Master System, mas há também um punhado de músicas diferentes. A barra de status na versão para MSX2 agora é muito menor, e fica no topo da tela sempre, e há também um medidor de energia para os chefes, mas lutas maiores. A versão para MSX2 também permite que você ande na diagonal – estranhamente, na versão para Master System, você só podia andar na diagonal nas lutas contra os chefes. Além dos vendedores e das fadas, você também pode falar com estátuas diferentes, que fornecem mais dicas e avisos. Existem também sequências de abertura e encerramento completamente novas, utilizando de artes criadas pela mesma pessoa que fez a arte da capa.

Shin Maou Golvellius (MSX2)

Versões traduzidas legalmente para MSX1 e MSX2 para emulação costumavam ser vendidas no site WOOMB.net, mas este site não está mais no ar. Mas você ainda pode encontrá-las por aí na internet.

Agradecimentos ao Video Game Museum pelas imagens de encerramento.
Confira mais fotos de todas as versões na galeria no fim deste artigo.

Vídeos

Golvellius (MSX1):

Golvellius (Master System):

Golvellius (MSX2):

Propaganda do Golvellius para MSX2:

Abertura e encerramento do Golvellius para MSX2:

Livro Illustrado do Golvellius, apresentado no “Disk Station Spring Special”

Golvellius 2, jogo feito por um fã brasileiro:

MP3s

Baixe Aqui

Title Screen (SMS)
Main Theme 1 (SMS)

Links

RPG Classics – Golvellius Shrine
SMS Power – Golvellius
Sega Power – Golvellius

Comparação de Fotos

Da esquerda para a direita: MSX1, Master System e MSX2:

Abertura (Master System)

Final (Master System)

Abertura (MSX2)

Final (MSX2)

Mapas

Maou Golvellius (MSX)

Golvellius (SMS)

Shin Maou Golvellius (MSX2)

Galeria

About these ads

3 Respostas para “Fight! Golvellius – MSX1 x MSX2 x Master System

  1. Gostei bastante do review. Apesar de inferior graficamente a versão do MSX1 tem a mesma jogabilidade e diversão das outras. Faltou falar do Super Cooks, mesmo jogo com tematica , inimigos e mapas diferentes. Kelesis torna-se um chefe de cozinha …Excelente side story.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s