Especial Gradius, Parte 7: Gradius Gaiden

Gradius Gaiden - PlayStation / PSP (1997)

Capa de Gradius Gaiden

Gradius Gaiden é o exemplo perfeito de como evoluir uma série. Graficamente, Gradius Gaiden fez pelo Gradius o que o Symphony of the Night pelo Castlevania – ele tem gráficos 2D maravilhosos, magnificamente detalhados, que deixam os outros jogos de nave no chinelo. A primeira fase é uma bela viagem atráves de um campo nevado, como pacíficas auroras reluzindo ao fundo. Mas a coisa toda é interrompida por uma lagarta gigante que surge do solo e comecça a atacar. O resto das fases não é tão espetacular, mas ainda sim é um jogo muito, muito bonito, com quase nenhum polígono à vista.

Além da evolução gráfica, Gradius Gaiden realmente se destaca, mesclando vários momentos familiares com mudanças interessantes. A segunda fase é um cemitério de naves espaciais, recheado dos restos destruídos de velhos chefes do Gradius, sendo que alguns ainda disparam alguns tiros mesmo estando enterrados no entulho. A terceira fase é outra fase de cristal, mas aqui eles se inclinam e refletem seus tiros de laser, o que é um visual muito, mas muito legal. As estátuas da fase moai disparam lasers enormes, que continuar a irradiar mesmo depois de destruídos. O chefe da fase é uma sala quadrada com quatro grandes estátuas moai na parede que gira, o que nos traz à mente a famosa fase do Super Castlevania IV onde a tela toda gira (os moais até te provocam, gritando “YOU THINK YOU CAN BEAT ME WITH THAT? LOSER!” quando você os enfrenta pela primeira vez). As fases biológica e das plantas são legais, mas o destaque fica com a fase de “Event Horizon”: é uma réplica da primeira fase do Gradius original, exceto que ela foi destruída por um buraco negro, fazendo com que você precise desviar de pedaços do cenário que voam em sua direção. O jogo termina com o costumeiro boss rush – uma das partes mais difíceis do jogo, obviamente – uma zona de aceleração, um inimigo que parece o ED-209 do Robocop 2, exceto pelo fato que ele tem patins à jato, e um chefe final que faz um show de luz impressionante.

A música, novamente assim como Symphony of the Night, consiste numa grande variedade de músicas, indo de um new age animado à um rock agitado, até tons mais atmosféricos. A música tema dos chefes é inesperadamente viciante, muito melhor que o som repetitivo dos outros jogos. A fase moai tem um instrumento exótico que soa parecido com uma gaita de fole – e a luta final tem um tema épico, com qualidade de orquestra. É definitivamente um clássico da Konami, um material de grosso calibre que é bem mais maduro que os jogos anteriores. Há até uma opção para escolher entre um narrador homem ou mulher, o que também afeta a introdução do jogo – feita em inglês com um texto em scroll estilo Star Wars.

Infelizmente, a seleção de armas não é tão vasta quanto em Gradius III, mas ainda assim é bem grande. Aqui você pode escolher entre quatro naves. A boa e velha Vic Viper apresenta as armas padrão de Gradius, com seus mísseis e armas Double e Laser. A Lord British – marcando seu retorno de Life Force/Salamander – tem os mísseis Two-Way, o laser Ripple e um novo raio laser chamado Disruptor, que emana um espesso pulso por toda a tela. Uma nova nave chamada Jade Knight que tem a Spread Bomb, o Round Laser – que atira um laser circular que envolve a sua nave – e o Pulse Laser, que basicamente é o mesmo que o Twin Laser. A outra nave nova, a Falchion Beta, é baseada na nave do antigo jogo Falchion para o antigo Famicom Disk System. Ela conta com o Rolling Missile – uma bomba que cai diretamente para baixo e explode horizontalmente – Auto Aiming, um tiro multidirectional que mira automaticamente nos inimigos, e a Gravity Bullet, que é um disparo poderoso que explode como a Spread Bomb. As armas não são intercambiáveis entre as naves, mas você pode mudar de nave entre os continues. Você também pode configurar a ordem dos powerups na barra de armas. isso significa que você pode colocar o Shield no começo, e as armas inúteis no fim, logo fica mais fácil de se equipar com apenas uns poucos orbs. Existem ainda dois níveis para cada arma, incluindo as bombas, permitindo que se aumente o seu poder de fogo. Existem também quatro escolhas de escudos – além do escudo frontal tradicional e do Force Field, há também o Guard Shield (que protege as parte de cima e de baixo da sua nave, mas deixa a frente e a traseira expostas) e o Limit Shield (que te dá uns poucos segundos de invencibilidade total). Pena que os modos legais de Options do Gradius III foram removidos.

Mas isso é um defeito absurdamente pequeno, já que de forma geral, a qualidade do jogo mais que compensa por isso. Gradius Gaiden é o primeiro jogo da série desde os títulos para MSX que foi feito especificamente para o mercado de jogos domésticos. Desta forma, é balanceado para ser difícil mas não impossível. Você começa o jogo com nove créditos, e cada um deles pode te dar até sete vidas, Mas o jogo é ainda desafiador mesmo da dificuldade Very Easy. Lembrando Life Force, existe também um modo para dois jogadores simultâneos. Ao se jogar com um amigo, você ressurge imediatamente após morrer, tornando o jogo um pouco mais fácil. Mas você precisa dividir os créditos entre ambos os jogadores, e eles acabam rápido. O modo para apenas um jogador ainda funciona à base de checkpoints.

Gradius Gaiden é um jogo fantástico – é realmente um empate entre ele e o Gradius V como o melhor. Em seu lançamento original para o PlayStation, ele havia sido lançado apenas no Japão. Ele deveria ter sido incluído como um bônus na versão americana do Salamander Deluxe Pack, mas isso acabou indo por água abaixo, para o aborrecimento dos fãs ocidentais do gênero. Gradius Gaiden só fez a sua estréia nos EUA no Gradius Collection para o PSP em 2006. É basicamente um port direto, mas não possui o modo para dois jogadores. 

Veja mais fotos de Gradius Gaiden na galeria no fim deste artigo.

MP3s

Baixe Aqui

Sky 1
Beyond the White Storm
Boss
Speed
Inside Mission
Final Battle

Vídeos

Gradius Gaiden – Abertura

Gradius Gaiden – Stage 1

Gradius Gaiden – 2 Jogadores

Gradius Gaiden – Final

Galeria

Semana que vem: Gradius IV!

About these ads

Uma resposta para “Especial Gradius, Parte 7: Gradius Gaiden

  1. como joguei isso no playstation 1 , kkk mas metal gear foi o que mais joguei de longe n esse console. o bom mesmo e o do msx 8p , exelente materia!!!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s